modalidades
boccia


O Boccia tem influências do jogo tradicional Petanca, oriundo das civilizações gregas e romanas, tendo-se tornado uma modalidade Paralímpica em 1984, nos jogos de Nova Iorque.

É uma modalidade para atletas com paralisia cerebral e/ou outras disfunções neurológicas com origem no sistema nevoso central e disfunções neuromusculares severas de origem não cerebral que afetem os quatro membros.

É um desporto praticado num espaço interior, de precisão, em que são arremessadas bolas de couro, seis azuis e seis vermelhas, com o objetivo de as colocar o mais perto possível de uma bola branca chamada “jack” ou bola alvo. É permitido o uso das mãos, dos pés ou de instrumentos de auxílio (calhas) para atletas com grande comprometimento nos membros superiores e inferiores. Esta modalidade pode ser disputada de forma individual (jogado por todas as classes e composto por 4 parciais), pares (jogado pelas classes BC3 e BC4 e composto por 4 parciais) ou por equipas (jogado pelas as classes BC1 e BC2 e composto por 6 parciais).

O Boccia é jogado num campo de 12,5 m de comprimento por 6 de largura. No início da partida o árbitro sorteia, através de moeda ao ar, a escolha da cor das bolas com que cada equipa vai competir. Quem ganha o sorteio tem o direito de escolher se quer competir com as bolas de cor vermelha ou azul. O lado que escolhe as bolas vermelhas inicia a disputa, jogando primeiro o “jack” e uma bola vermelha; depois é a vez da equipa com as bolas azuis jogar. A partir daqui, joga sempre a equipa que tiver as suas bolas de cor mais afastadas do “jack”.
A contagem dos pontos faz-se após terem sido lançadas todas as bolas. Os pontos são atribuídos de acordo com o número de bolas da mesma cor mais próximas da branca em relação às bolas do adversário. Vence quem acumula a maior pontuação.

sistema de classificação desportiva


Os jogadores podem ser classificados em quatro classes:
• BC1: Os atletas podem competir com o auxílio de assistentes, que devem permanecer fora da área de jogo do atleta. O assistente pode, apenas, estabilizar ou ajustar a cadeira do jogador e entregar a bola a pedido;
• BC2: Os jogadores não podem receber assistência;
• BC3: Jogadores com características funcionais mais limitadas, já que não conseguem arremessar as bolas. Para o lançamento das bolas, os atletas utilizam dispositivos auxiliares, calhas, capacetes com ponteiros e são sempre auxiliados por um acompanhante, que deve manter-se sempre de costas para a área de jogo. Se esta regra for quebrada o jogador sofrerá penalizações;
• BC4: Jogadores com outras deficiências locomotoras, mas que são totalmente autónomos relativamente à funcionalidade exigida pelo jogo. Não podem receber auxílio.

Para obter mais informações visite:
BISFed – Entidade internacional responsável pela modalidade http://www.bisfed.com
PCAND: Paralisia Cerebral – Associação Nacional de Desporto: associação nacional responsável pela organização de provas para pessoas com paralisia cerebral: http://www.pcand.pt