ParaPowerlifting
o projeto


A FPDD, fruto do histórico que lhe é reconhecido em termos internacionais, pelas Federações Internacionais por área de deficiência (IOSD’s), tende sempre a ser um interlocutor confiável, em termos de polo de possível disseminação, de desportos que procuram aprofundar o desenvolvimento em zonas geográficas onde ainda trabalham a sua implantação.

A IWAS sinalizou à World Para Powerlifting Organization (WPPO), do IPC, que Portugal poderia ser, no continente Europeu, um país a explorar pela modalidade, também pela proximidade com Espanha, já que Península Ibérica, tem fracos indicadores, na modalidade, em termos de praticantes, face principalmente, aos países do norte e leste da europa.

Assim, depois de vários convites diretos, para participação em eventos internacionais da IWAS, o Para Powerlifting, do IPC, em termos formais, passou também a contactar o Comité Paralímpico de Portugal, para que no esforço como NPC, pudesse intervir. O Comité Paralímpico de Portugal veiculou essa aproximação, junto da FPDD e daí aconteceram dois factos, um de carácter mais fortuito, mas outro que poderá ter um carácter estruturante, no desenvolvimento da modalidade no nosso país.

  1. O aparecimento de uma primeira atleta, no Para Powerlifting, a bem conhecida ex-nadadora paralímpica, Simone Fragoso, que decidiu fazer uma incursão por outra modalidade, sendo neste momento a primeira atleta portuguesa classificada internacionalmente e pertencente ao Para Powerlifting do IPC. Esta posição de Portugal sai reforçada, já que em termos de estratégia desportiva, uma das maiores apostas do IPC é a questão do género feminino no fortalecimento das diferentes modalidades.
  2. O segundo facto de relevo, foi a doação pela WPPO, de conjuntos de materiais, que darão para lançar núcleos de desenvolvimento da modalidade, em diferentes regiões do país, e que foram dirigidos diretamente à FPDD. Aliado a este facto, surge a parceria e o interesse da Federação de Culturismo e Powerlifting de Portugal (FCPP) em se envolver na vertente adaptada. Com estes conjuntos de materiais e apoio técnico na modalidade, a FPDD, pretende desenvolver parcerias, em diferentes zonas do país, para que o desenvolvimento da modalidade possa acontecer de uma forma sustentável, conseguindo através do Projeto de Deteção e Desenvolvimento de Talentos, colocar ao dispor das pessoas com deficiência, a possibilidade de prática enquadrada, da oferta, entre nós, desta nova modalidade desportiva, mas também dar persecução, a possíveis praticantes, que ao longo do tempo nos têm contactado, no sentido de saber qual a oferta nesta modalidade específica, que a FPDD teria para lhes colocar ao dispor, numa perspetiva de prática regular.

Pensamos que a FPDD, com as parcerias que vier a encetar, conseguirá que a modalidade se afirme, dê resposta aos anseios dos potenciais praticantes deste desporto, e que se ganhe, na descoberta, desenvolvimento de conhecimentos, e envolvimento de estruturas e diversos agentes desportivos, que gravitam em torno deste desporto paralímpico, fazendo com que se trace um rumo, que se quer progressivo e inspirador.

Saiba mais sobre a modalidade em https://www.paralympic.org/powerlifting ou contacte-nos para info@fpdd.org

O PARAPOWERLIFTING, é um projeto cofinanciado pelo IPDJ.